- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

RECORDAÇÕES

Tomoko Takeda (Sôchi)

Por ocasião dos festejos do IV Centenário da Cidade de São Paulo, em 1954, nós os membros da Urasenke fomos ao aeroporto receber o Grão-mestre Herdeiro daquele tempo, Sen Sôko, e seu irmão mais novo, o Mestre Yoshiharu Naya, que vieram ao Brasil para propagação do Chadô.
Desde aquele acontecimento passaram-se mais de 60 anos.
No decorrer desses anos tivemos a visita do XV Grão-mestre da Urasenke, Sen Sôshitsu, de sua falecida esposa Tomoko, e, em 1995, a visita do Grão-mestre Herdeiro Sen Sôshi, atual XVI Grão-mestre da Urasenke, com sua esposa Masako, que visitaram o Brasil para expressar a imensa consideração e respeito que têm por este país.
Com a finalidade de expandir a divulgação do Chadô enviaram o casal Sôkei Hayashi e Sôen Hayashi, ambos Mestres que continuam exercendo a missão de divulgar a cultura do Chadô, até a presente data.
No momento estou em isolamento social, não podendo ir aos treinos na Hakuei-an que se encontra fechada, devido a atual crise da Covid-19.
Passo os dias curtindo meus hobbies, como: escrever haiku; praticar shodô com pincel e “suzuri” (pedra para preparar tinta) que comprei em Zhèjiāng Shěng (em jap. Sekkô-shô), na China; preparar comidas como nigirizushi (bolinho de arroz com fatia de peixe no topo) ou tsukudani (conserva de marisco cozido em molho de soja e mirin).
Fico também estendendo e dobrando o fukusa (pano de seda) que nunca usei e que ganhei de Sen Kayoko, esposa do XIV Grão-mestre Tantansai; e faço leitura de livros de Chadô, desde o básico. De vez em quando vou para a cozinha preparar remédio caseiro. E, assim, aguardo ansiosamente o dia de encontrar-me com o pessoal da Urasenke na Hakuei-an.

友垣や学びの庭も冬ざるる
Tomogaki ya manabi no niwa mo fuyuzaruru
os amigos
e o jardim do aprendizado
como se hibernassem

 

1995 – O atual XVI Grão-mestre da Urasenke, Zabôsai (na época, Grão-mestre Herdeiro Sen Sôshi) e sua esposa presentes na “Exposição Cultural da Arte de Chanoyu” por ocasião do Centenário do Tratado de Amizade Brasil – Japão visitaram a Sala de chá Hakuei-an.

2004 – Com o XV Grão-mestre Sen Genshitsu Daisôsho no banquete oferecido no Hotel Nikko, México D.F., em Comemoração aos 50 anos de Difusão do Chadô Urasenke na América Latina.

Veja também

  • O som do sino do templo zen

    O som do sino do templo zen

    Naomi Matsubara (Sômi) – Gon, gon… Toda manhã, às 6h, ouço o som do sino de um templo budista que fica perto daqui. É o sino de um templo famoso em uma área residencial de ...
  • Todo dia  É um bom dia

    Todo dia É um bom dia

    Erisson Sôson Thompson de Lima Jr. – No meu aprimoramento e estudo no Japão aprendi esta frase “Nichi nichi kore kojitsu”Existem varias formas de leitura desta frase. Mas seu significado é o mesmo…
  • Caros amigos do Chadô!

    Caros amigos do Chadô!

    Carmen Luci Sôka Conte Vieira – É com muitas saudades e gratidão que escrevo essas palavras a vocês. Este período de isolamento nos deixa saudosos e também muito reflexivos. Faz três meses de isolamento, e ...
  • "Todo dia é um bom dia!"

    “Todo dia é um bom dia!”

    Haruko Sôsei Hartmann-Ogasawara – Havia pensado em “A Pandemia dos Insights” como título, pelo fato de o período de confinamento ter me inspirado ideias formidáveis, apesar da circunstância insólita em que vivemos nestes últimos meses…
  • O transcorrer do tempo: do Japão, em isolamento

    O transcorrer do tempo: do Japão, em isolamento

    Susaki Sôshô – A cidade de Mitaka, na periferia de Tóquio, onde se encontra minha residência, passa pela transição da primavera para o verão. O sol da manhã penetra até o fundo do estreito jardim…