- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Nichi Nichi Kore Kôjitsu

Depois de seis meses de atividades suspensas, pelo período de isolamento, a sala Hakuei-an do Centro de Chado Urasenke do Brasil retomou as práticas, a partir de 8 de setembro, mas limitadas a seus membros.
Uma maneira de estarmos todos juntos durante estes seis meses foi enviar a todos a Caixa de Perguntas de Chanoyu, um material de estudo que teve boa aceitação. Naquela ocasião pedimos a livre participação para escreverem no espaço 日々是好日 – Nichi nichi kore kôjitsu – “todo dia é um bom dia”, e assim reunimos 15 ensaios que ficaram muito bons. Alguns opinaram que isso deveria ser postado no site, razão pela qual o fazemos agora.
Enquanto encorajavam-se uns aos outros, nesta crise do coronavírus, levava-se uma vida de confinamento sem, contudo, deixar de apreciar ao máximo as coisas simples e mútuas notícias. Ainda estamos vivendo um momento de muita vigilância e cuidado, mas com alegria vamos fazer o melhor para restaurar a nossa vida original.
Estes ensaios são um tesouro e um grito de incentivo a todos: GAMBARE!!! Faça o seu melhor!!!
E, por favor, cuidem-se!

Membros do Departamento Editorial


O som do sino do templo zen

Naomi Matsubara (Sômi) – Gon, gon… Toda manhã, às 6h, ouço o som do sino de um templo budista que fica perto daqui. É o sino de um templo famoso em uma área residencial de Tóquio. Geralmente eu acordo com esse som…

leia mais ...

Todo dia É um bom dia

Erisson Sôson Thompson de Lima Jr. – No meu aprimoramento e estudo no Japão aprendi esta frase “Nichi nichi kore kojitsu”
Existem varias formas de leitura desta frase. Mas seu significado é o mesmo…

leia mais ...

RECORDAÇÕES

Tomoko Takeda (Sôchi) – Por ocasião dos festejos do IV Centenário da Cidade de São Paulo, em 1954, nós os membros da Urasenke fomos ao aeroporto receber o Grão-mestre Herdeiro daquele tempo, Sen Sôko, e seu irmão mais novo, o Mestre Yoshiharu Naya, que vieram ao Brasil para propagação do Chadô…

leia mais ...

Caros amigos do Chadô!

Carmen Luci Sôka Conte Vieira – É com muitas saudades e gratidão que escrevo essas palavras a vocês. Este período de isolamento nos deixa saudosos e também muito reflexivos. Faz três meses de isolamento, e logo na primeira semana nós aqui em casa manifestamos os sintomas de Covid19…

leia mais ...

“Todo dia é um bom dia!”

Haruko Sôsei Hartmann-Ogasawara – Havia pensado em “A Pandemia dos Insights” como título, pelo fato de o período de confinamento ter me inspirado ideias formidáveis, apesar da circunstância insólita em que vivemos nestes últimos meses…

leia mais ...

O Paraíso também em quarentena.

Laura Badala – Eu moro em Rosário, Argentina, no coração de uma cidade dinâmica de um milhão de habitantes. Como o resto do mundo, a pandemia nos forçou a ficar lá dentro. No nível pessoal, a situação é sentida e, juntamente com a chegada do inverno, é um convite à interioridade…

leia mais ...

Um dia memorável

Valderson de Souza (Sôchi) – A cultura grega é responsável pela maioria dos conceitos que utilizamos no mundo ocidental, e nela encontramos o conceito de tempo apresentado em duas versões. Existe o tempo cronológico (Cronos – Κρόνος), o tempo das eras e dos calendários, e existe o tempo dos acontecimentos marcantes (Kairós – Kαιρός)…

leia mais ...

Flor de Ipê

Antonio Fabiano da Silva Santos – No começo deste ano, quando me mudei de São Paulo para Belo Horizonte, senti muita falta das práticas de chá semanais na Hakuei-an. Eu percebi que devo me esforçar mais, a partir de agora, para viver como um chajin…

leia mais ...

Lembranças da minha avó

Iumi Takeda Yokobatake (Sôyu) – Conforme no livro Vivência e Sabedoria do Chá do Daisôshô, comecei a aprender a Cerimônia do Chá aos 6 anos, pois em maio de 1973, foi realizada no Palácio das Convenções do Anhembi a Feira Industrial do Japão em São Paulo. Além da exposição de indústrias japonesas, foi construída um Chaseki e eu fiz a Cerimônia do Chá…

leia mais ...

Algo aconteceu nesse dia…

Rubia Daniela da Silva Paula Baptista – Bom dia, Estudo o caminho do Chá desde o início de 2018. Em fevereiro de 2020 fui em uma aula na Urasenke e estava com uma dúvida…

leia mais ...

Reunião de Chá no incessante Cerrado

Yasuhiro Fujimoto – Faz quase três anos que me mudei de São Paulo, onde morei por 40 anos, para a capital Brasília. O clima de Brasília divide-se em: estação seca (abril – setembro) e a estação chuvosa (outubro – março)…

leia mais ...

PENSAMENTOS QUE ME VEEM À MENTE, NESSES DIAS

Veronica Hayako Nagae – A pandemia do corona vírus mudou, completamente, a rotina não apenas dos brasileiros como as das pessoas do mundo inteiro. Com tantos infectados e mortes, além de desempregos, muitas famílias devem estar desoladas. Tenho orado a Deus por essas pessoas no dia a dia…

leia mais ...

O que aprendi na Urasenke do Japão

Sumiko Hirose (Ikeda Sôjun) – Meus cumprimentos a todos da Urasenke! O isolamento social devido ao coronavírus nos força a ficar em casa e, inevitavelmente, nos leva a pensar sobre várias coisas…

leia mais ...