- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Lembranças da minha avó

Iumi Takeda Yokobatake (Sôyu)

Conforme no livro Vivência e Sabedoria do Chá do Daisôshô, comecei a aprender a Cerimônia do Chá aos 6 anos, pois em maio de 1973, foi realizada no Palácio das Convenções do Anhembi a Feira Industrial do Japão em São Paulo. Além da exposição de indústrias japonesas, foi construída um Chaseki e eu fiz a Cerimônia do Chá.

Tive aulas no Chashitsu no 3º andar no Bunkyo, pois na época o Bunkyo tinha apenas 3 andares. Os outros andares foram construídos depois. Com a vinda do casal Sôkei Hayashi e Sôen Hayashi em 1978, mudamos para a sala que todos conhecem no 4º andar.

Molhava meus vestidos usando o hishaku para jogar água do mizusashi para chawans e pisava na areia do roji.

47 anos se passaram, mas a Cerimônia do Chá continuou presente em minha vida. Muitas vezes enquanto estou fazendo um otemae ainda ouço a voz da minha avó falando “sanbon no yubi o dashite” ou “ookiku no noji o kaite”.

Agora na quarentena não podemos participar das aulas, então recebo as Caixas de Perguntas com alegria e curiosidade de um novo aprendizado. Não tenho muitos dôgu, mas lembro de minha avó que trouxe a Cerimônia do Chá no Brasil em 1954 e faleceu em 2004. Quando ela faleceu estava fazendo o Ryakubon novamente, pois quando voltamos para o primeiro vemos com outros olhos.

(Nota da redação: A avó no texto é a professora Sôhô Takeda.)

 

Veja também

  • O som do sino do templo zen

    O som do sino do templo zen

    Naomi Matsubara (Sômi) – Gon, gon… Toda manhã, às 6h, ouço o som do sino de um templo budista que fica perto daqui. É o sino de um templo famoso em uma área residencial de ...
  • Todo dia  É um bom dia

    Todo dia É um bom dia

    Erisson Sôson Thompson de Lima Jr. – No meu aprimoramento e estudo no Japão aprendi esta frase “Nichi nichi kore kojitsu”Existem varias formas de leitura desta frase. Mas seu significado é o mesmo…
  • RECORDAÇÕES

    RECORDAÇÕES

    Tomoko Takeda (Sôchi) – Por ocasião dos festejos do IV Centenário da Cidade de São Paulo, em 1954, nós os membros da Urasenke fomos ao aeroporto receber o Grão-mestre Herdeiro daquele tempo, Sen Sôko, e ...
  • Caros amigos do Chadô!

    Caros amigos do Chadô!

    Carmen Luci Sôka Conte Vieira – É com muitas saudades e gratidão que escrevo essas palavras a vocês. Este período de isolamento nos deixa saudosos e também muito reflexivos. Faz três meses de isolamento, e ...
  • "Todo dia é um bom dia!"

    “Todo dia é um bom dia!”

    Haruko Sôsei Hartmann-Ogasawara – Havia pensado em “A Pandemia dos Insights” como título, pelo fato de o período de confinamento ter me inspirado ideias formidáveis, apesar da circunstância insólita em que vivemos nestes últimos meses…