- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Nossa Senhora Aparecida

Conta a tradição que em 1717, quando colónia de Portugal, no Brasil a capitania de São Paulo e Minas de Ouro eram governadas pelo conde de Assumar, fidalgo severo e as vezes cruel, muito temido tinha o poder absoluto.

Em passagem por Guaratinguetá no vale do rio Paraíba, o conde a caminho de Vila Rica deveria ser recebido com honras. Para o preparo do banquete eram necessários peixes, considerados entrada refinada.

Dois pescadores da cidade foram encarregados da pescaria, porém embora o rio Paraíba fosse rico em peixes, por mais que os pescadores tentassem não conseguiam pegar nada. Desanimados resolveram lançar as redes pela última vez, e, ao retirá-la sentiram que estava pesada e contendo a imagem de uma santa, porém sem a cabeça.

Lançando a rede novamente ela voltou leve contendo apenas a cabeça da imagem. Tendo juntado as peças lançaram novamente as redes, que voltaram então com uma assombrosa quantidade de peixes.

 

 

Referido acontecimento as pessoas vieram a casa dos pescadores e começaram a revenerar a imagem obtendo vários milagres. A partir daí foi crescendo a devoção popular construindo uma capela, depois aceita e autorizada pela Igreja.

Em 1888, 100 anos depois da descoberta, a imagem recebeu um manto bordado a ouro e pedrarias e uma coroa de ouro riquíssima doados pela princesa Isabel, e em 1930 foi declarada Padroeira do Brasil pelo Papa Pio XI e só em 1980 foi decretado o dia 12 de outubro, Feriado Nacional consagrado a Nossa Senhora Aparecida.

 

 

Curiosamente do outro lado da Terra, no Japão em Tóquio festeja-se no final de maio o Sanja Matsuri, quando são lembrados três pescadores que pescaram no rio que corta Tóquio uma estatueta de ouro da deusa Kannon-sama – Senhora da Misericórdia, e que após a pescaria da imagem pescaram tantos peixes que foi construído um templo aonde a santa é até hoje cultuada.

Isto ocorreu no ano de 628, na atual Tóquio e o rio Sumida chamava-se rio Miyato – Milagres tão semelhantes com a diferença de 1089 anos fazem com que pensemos que guardadas todas as diferenças nós brasileiros e japoneses somos irmão.

Outubro de 2016

Veja também

  • Plantas do Brasil - 7. Guaraná

    Plantas do Brasil – 7. Guaraná

    Ao falar em guaraná, a primeira coisa que vem à nossa mente é aquele famoso refrigerante em uma garrafa esverdeada ou na latinha verde com o desenho de um frutinho vermelho…
  • Plantas do Brasil – 6. Jacaranda

    Plantas do Brasil – 6. Jacaranda

    O Jacaranda, assim como a Bisnagueira – spathodea campanulata e o Flamboiã – delonix regia, é considerado uma entre as três árvores que possui a maior flor do mundo. Seu nome científico é Jacaranda mimosifolia (Bignoniaceae), ...
  • Plantas do Brasil – 5. Pau-Brasil

    Plantas do Brasil – 5. Pau-Brasil

    O Pau-Brasil é a árvore símbolo do Brasil, cuja madeira é nobre. Seu nome em tupi, ibirapitanga significa madeira vermelha. Em português, Pau-Brasil deriva da cor da resina vermelha contida na sua madeira. A palavra ...
  • Plantas do Brasil – 4. Vitória-régia (Parte II)

    Plantas do Brasil – 4. Vitória-régia (Parte II)

    Na primeira parte foram levantadas algumas características da Vitória-régia. Entre elas, a utilização na culinária, como a semente que estoura como a pipoca e tem sabor semelhante. Além da semente, o caule da Vitória-régia pode ...
  • Plantas do Brasil – 3. Vitória-régia (Parte I)

    Plantas do Brasil – 3. Vitória-régia (Parte I)

    Uma das flores exóticas brasileiras mais bonita que existe é a vitória-régia, sendo a maior planta aquática do mundo. É originária da Amazônia e possui uma folha grande em forma de círculo, podendo chegar até ...