- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Bota-mochi

Dizem que “tanto o frio do inverno como o calor do verão só duram até o equinócio”. Nesta época em que se sente a mudança das estações, o wagashi típico do equinócio de primavera é o bota-mochi ぼた餅 (牡丹餅).

Ele é feito de arroz glutinoso ou este misturado com arroz normal japonês. Cozido ao vapor, ele é levemente socado e enrolado em bolinhas, que são cobertas com pasta homogênea de feijão azuki (koshi-an), ou com a pasta contendo grãos do feijão ligeiramente amassados (tsubu-an) ou farinha de soja (kinako), gergelim, algas verdes trituradas, ou ainda, com pasta zunda de grãos de soja verde.

Existe um doce similar chamado ohagui 御萩. Para explicar a diferença entre eles há várias versões. Uma delas é que na primavera floresce a flor “botan” (peônia) e por isso chama-se “bota-mochi”; e no outono floresce a flor de “hagui”(lespedeza bicolor var. japônica) e portanto denomina-se “ohagui”. Outra versão é que o bota-mochi é feito de pasta de azuki enquanto que o “ohagui” é preparado com farinha de kinako. Ainda uma outra explica que o primeiro é preparado com pasta homogênea de azukikoshi-an, e o segundo com pasta tsubu-an (ou até mesmo o contrário), entre outras. Ou seja, de região em região, ou até de loja em loja há diferença de nomes para o mesmo doce.

Tanto o “botamochi” quanto o “ohagui” são preparados na época dos dois equinócios como um doce para ser oferendando no oratório. Dizem que este costume vem da época Edo (1603-1868). Desde antigamente, a cor vermelha é considerada protetora de maus espíritos. Assim, o feijão azuki por ser vermelho, é utilizado nas festividades e cerimônias em pratos como o “sekihan” (arroz glutinoso cozido com azuki), ou na preparação de pasta de doce.

No equinócio, há o sentido de abundância nas colheitas de (cinco) grãos ao utilizar o “mochi” e o sentido de proteção contra os maus espíritos ao preparar o “bota-mochi” ou o “ohagui”. Desta forma, contam que começou a ser servido diante do oratório ou sepultura dos antepassados com o sentimento de gratidão e desejo de saúde à família.

 

Fevereiro de 2019

Veja também

  • Hanabira-mochi

    Hanabira-mochi

    Existem diferentes doces que nos fazem sentir a vinda das estações, mas há apenas um que aparece na celebração do Ano-Novo, o hanabira-mochi (lit. mochi em pétalas); apreciado como aquele wagashi que traz bons augúrios para o novo ano. ...
  • Kurimushi yôkan

    Kurimushi yôkan

    Outono frutífero, outono de apetite, é a época em que os ingredientes gostosos da estação não devem passar despercebidos no mundo dos doces japoneses. O kurimushi yôkan 栗蒸し羊羹 surge nas vitrinas das confeitarias justamente entre o outono e ...
  • Fu-manjû

    Fu-manjû

    Mesmo na época de pleno calor há muitos doces japoneses leves que podem ser saboreados. Desta vez vamos apresentar um deles: o “fu-manjû” (麩饅頭), visto nas confeitarias japonesas no verão. É feito de pasta de ...
  • Waka-ayu

    Waka-ayu

    Há muitos doces típicos confeccionados apenas na estação apropriada, e possivelmente, o wagashi waka-ayu 若鮎 é um dos mais representativos do início do verão nas docerias típicas japonesas…
  • Hanamidango

    Hanamidango

    Uma das características típicas da primavera japonesa é apreciar as flores da cerejeira no auge de seu florescimento debaixo das árvores, comendo algo delicioso ou tomando algum sake prazerosamente. Para acompanhar esta cerimônia de contemplação das flores ...

Última atualização

01/09/2021 - 13. Fûryû – elegante, refinado… | Wa no kokoro – O espírito japonês
01/09/2021 - 13. KAZE | Cantinho da Língua Japonesa
01/08/2021 - Plantas do Brasil – 4. Vitória-régia (Parte II) | Relatos de Cenas Brasileiras
01/08/2021 - Sumi – 1 | Mini conhecimentos sobre Chadô
01/06/2021 - 12. Mi ni shimu – Um modo profundo de sentir… | Wa no kokoro – O espírito japonês
01/06/2021 - 12. TORI | Cantinho da Língua Japonesa
01/05/2021 - Utensílios do Mizuya – 3 | Mini conhecimentos sobre Chadô