- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Entrevista com Mikihisa Motohashi, ex-presidente da Kenren – Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil

A quinta entrevista com personalidades no Brasil apresenta o ex-presidente da Kenren – Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil, Mikihisa Motohashi. Foi-lhe perguntado sobre as diversas atividades e iniciativas da instituição que neste ano celebra seu quinquagésimo aniversário.
Perfil

Período de permanência no Brasil: 56 anos.

Família: esposa, filha e filho.

Entrevistador: Há muitas Associações de Províncias (kenjinkai) em São Paulo. Quais atividades são realizadas pela Kenren?

Estamos no ano comemorativo do 50º aniversário da Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil. Temos atividades realizadas graças à ajuda mútua dos associados, em vários âmbitos e reunindo-os de forma geral e funcional.  Por meio de eventos diversos, pensamos que é essencial continuar a proporcionar um lugar para expandir os laços do espírito japonês.

 

«Festival do Japão»

Um dos maiores eventos da sociedade nikkei organizado anualmente pela Kenren é o Festival do Japão (Nihon Matsuri).

O Festival teve início em 1998, em comemoração ao 90º aniversário da imigração japonesa no Brasil, com o nome de “Festival de iguarias regionais e folclores regionais do Japão”.  A cada edição, a quantidade de atrações culturais tem se ampliado, incluindo a Urasenke e outras artes tradicionais. Considerando ser este um evento de introdução e difusão da cultura tradicional do Japão, decidiu-se mudar o nome para Festival do Japão (Nihon Matsuri).

Cerca de 40 províncias divulgam sua culinária regional nos stands da praça de alimentação.  Trata-se de uma forma eficaz de transmitir a cultura japonesa. É fácil quando a assimilação cultural acontece pelo alimento, pois é algo familiar, apreciado, popular. Felizmente, o número de visitantes aumenta a cada ano, é sempre maior do que o esperado. No Festival do Japão do ano passado, com o apoio do Ministério da Agricultura, Florestas e Pescas, órgão público do governo japonês, realizou-se demonstrações de culinária japonesa com degustação de temaki, sushi, entre outros, e houve uma grande aceitação. Acredito que o evento proporciona maior intercâmbio entre Brasil e Japão.

 

«Visita à cidade natal dos imigrantes»

O projeto de visita à terra natal dos que vieram como colonos está em sua 45º edição. Tem aumentado o número de lugares de origem que se encontram despovoados e, dessa forma, acontecem encontros inesperados em que pode se ampliar o círculo de relações.

 

« Memorial em homenagem aos imigrantes pioneiros falecidos »

Graças à contribuição e participação de muitos, foi construído o memorial em homenagem aos imigrantes pioneiros falecidos no Parque do Ibirapuera (São Paulo) no ano de 1975. Este memorial reúne centenas de milhares de almas dos imigrantes pioneiros, muitos dos quais faleceram sem ter conseguido realizar o que idealizavam.

 

Entrevistador: Poderia nos dizer algo sobre o senhor? O senhor tem algum hobby?

Atualmente não há nenhum hobby que realize com entusiasmo.

Fui escoteiro quando era estudante e pratique equitação quando estava na faculdade.  Agora, com o trabalho corrido do dia a dia, acabei me afastando disso.

Antes de assumir a Kenren, trabalhei em uma empresa de rações, por isso me dediquei a pesquisar sobre melhorias nas formulações de rações, algo mais técnico.

 

Entrevistador: Qual é sua relação com os encantos da Cerimônia do Chá?

Eu gosto do sabor do chá em si. Eu costumava pensar que o ritual de servir o chá era um pouco complexo, mas atualmente eu mesmo preparo o meu chá todas as manhãs.

Do mesmo modo, por estar em outro país, acho que o chadô é bem familiar, algo bem japonês.

 

Entrevistador: E por último, Sr. Motohashi, diga-nos, qual é o seu lema favorito?

É bastante difícil mencionar um, mas gosto deste ditado que diz “soldados idosos nunca morrem, eles simplesmente desaparecem”.

 

soldados idosos nunca morrem,
eles simplesmente desaparecem

 

Muito obrigado.

Entrevista em Fevereiro de 2016

 

Há doze anos, em 2004, devido à comemoração dos 50 anos de Difusão do Chadô Urasenke na América Latina, o Sr. Motohashi, junto com o presidente da Kenren daquela época, Sr. Nakazawa, participaram em México da Grande Cerimônia do Chá Comemorativa da Urasenke como parte do programa de visitas às comunidades nikkeis.

Nota da redação

Abril de 2016

Veja também