- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Notícias do Japão

Caros amigos brasileiros, como estão? Passaram-se nove meses desde que voltei ao Japão. Finalmente já me acostumei à vida no Japão e também ao chadô, que recomecei devagar.

Desta vez vou apresentar o ceramista Ichino Masahiko, que realizou uma exposição individual na galeria de artes da matriz do estabelecimento comercial Mitsukoshi, em Tokyo; a qual visitei em seu último dia. Ele é natural da cidade de Sasayama, na província de Hyôgo; e uma pessoa, também da mesma cidade, com muita boa vontade, explicou-me sobre as obras. Filho do artista ceramista de Tanba, Ichino Shinsui (1ª geração), de quem herdou a tradição e o espírito [desta arte] e continua na procura de uma modelagem e forma originais. É um autor que está tendo uma presença única no mundo da arte ceramista do Japão contemporâneo. Suas obras são muito boas, mostram a técnica tradicional de Tanba com partes de argila avermelhada e padrões lineares. Até o mês de fevereiro do próximo ano estará expondo também no Museu de Arte Cerâmica de Hyôgo.

Referente à Tanba-yaki (cerâmica Tanba), fiz algumas pesquisas.

É considerado um dos seis antigos fornos no Japão juntamente com Seto, Tokoname, Shigaraki, Bizen e Echizen, e sua origem remonta ao final do período Heian até o início do período Kamakura.
Durante o período Momoyama usava-se o “anagama”, um tipo de forno muito antigo construído a partir de túneis escavados na encosta de uma colina, mas ao ser introduzido o “ noborigama ” de estilo coreano, confeccionado para que metade dele esteja enterrada, produziram principalmente vasos, jarros, morteiro de barro (suribachi) e mais tarde, chaire (pequeno pote para chá forte), mizusashi (jarro para água fresca), chawan (tigela), gerando muitos utensílios de chá de renome, e no final do período Edo, graças à proteção e melhorias do feudo de Sasayama, famosos artesãos competiram, demonstrando suas habilidades e o nome da cerâmica Tanba foi crescendo.

A cerâmica Tanba também é conhecida pelo nome de Tachikui-yaki ou Tanba-Tachikui-yaki.

O encanto da cerâmica Tanba está na coloração e design sóbrio, rústico e simples. Foi criada como uma miscelânea de objetos utilitários; e o mérito está na praticidade mais do que na aparência, características que se mantêm inalteradas desde a sua origem.

A cerâmica Tanba obtém de forma natural o padrão verde desbotado chamado “hai-kaburi” (lit. coberto de cinzas) porque enquanto está sendo queimado no forno noborigama salpicam cinzas da lenha de pinho que junto com o esmalte derrete, e em algumas vezes, tornou-se valorizado como obra de arte.

 

<RELATO DE CHAKAI>

No dia 19 de outubro participei do Kencha-shiki e Chakai – Cerimônia de Oferecimento de Chá à deidade xintoísta e Reunião de Chá – oferecidos pelo XVI Grão-mestre da Urasenke, Zabosai, no santuário xintoísta Tsurugaoka Hachimangû.
Esse é o santuário xintoísta mais importante da cidade de Kamakura e de grande notabilidade pela afinidade de Minamoto Yoritomo, fundador e primeiro shogun do shogunato de Kamakura, pelo santuário.

Outubro de 2015.      Hirasawa Kyoko

Novembro de 2015

Veja também

Última atualização

01/09/2021 - 13. Fûryû – elegante, refinado… | Wa no kokoro – O espírito japonês
01/09/2021 - 13. KAZE | Cantinho da Língua Japonesa
01/08/2021 - Plantas do Brasil – 4. Vitória-régia (Parte II) | Relatos de Cenas Brasileiras
01/08/2021 - Sumi – 1 | Mini conhecimentos sobre Chadô
01/06/2021 - 12. Mi ni shimu – Um modo profundo de sentir… | Wa no kokoro – O espírito japonês
01/06/2021 - 12. TORI | Cantinho da Língua Japonesa
01/05/2021 - Utensílios do Mizuya – 3 | Mini conhecimentos sobre Chadô