- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Kawakitaru chakin tsukawaba yu wa sukoshi koboshi nokoshite ashirau zo yoki

“Se o chakin que estiver usando tornar-se seco,
pode ser melhor deixá-lo imerso em um pouco de água quente.”

乾きたる茶巾使わば湯は少し こぼし残してあしらうぞよき

O chakin encontra-se numa bacia e após ser bem espremido é dobrado e colocado na tigela. Há o ponto ideal de espremedura do chakin, por isso, cada um deve experimentar com frequência e perceber qual é esse ponto de modo a facilitar o enxugamento; assim é bom observar e lembrar-se disso.  Mas há momentos em que a própria pessoa não o prepara, e assim, não sai como o esperado.  No caso do chakin ter secado ou estar pouco úmido no momento de entornar a água quente [após] examinar o batedor de bambu (chasen tôshi), deixe um pouco da água no fundo [da tigela], e essa umidade se espalhará no chakin enquanto enxuga [a tigela]. No entanto, isto, na verdade, não deveria acontecer.

Quando a mesma pessoa faz o temae, é claro, que ela própria, precisa certificar-se do ponto apropriado ao torcer o excesso de água do chakin.  Quando alguém lhe fizer os preparativos do temae, deve sempre aprontar o chakin remodelando-o.  

Este poema é melhor compreendido como se fosse uma norma a ser zelada. 

Se o chakin estiver muito ou pouco úmido é difícil de enxugar, não é?

Outubro de 2016

Veja também