- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Plantas do Brasil – 5. Pau-Brasil

O Pau-Brasil é a árvore símbolo do Brasil, cuja madeira é nobre. Seu nome em tupi, ibirapitanga significa madeira vermelha. Em português, Pau-Brasil deriva da cor da resina vermelha contida na sua madeira. A palavra “brasil” deriva de “brasa”, em referência à cor vermelha do tronco da árvore associada ao fogo.

O nome científico é Caesalpinia echinata, rebatizada Paubrasília echinata. Da sua madeira obtém-se um corante avermelhado, que por muitos anos foi usado pelos europeus na pigmentação de tecidos de luxo. A madeira também foi utilizada para construção naval e marcenaria. Hoje, é muito procurada para a fabricação de arcos para violinos e violoncelos. A flexibilidade da madeira contribui para a sonoridade dos instrumentos e, por esse motivo, é cobiçada por orquestras do mundo inteiro.

Entre os anos de 1530 e 1630, cerca de 2 milhões de árvores foram derrubadas e, atualmente, é considerada uma espécie em extinção. A extração do Pau-Brasil pelos colonizadores portugueses marcou um período econômico de nossa história, o que estimulou a adoção do nome “Brasil”.

A árvore do Pau-Brasil possui características marcantes como: madeira vermelha, tronco e fruto com espinhos e folhas brilhantes na cor verde-bandeira.

A flor do Pau-Brasil tem quatro pétalas amarelas grandes e uma pequena no centro, de cor vermelha. Exala um perfume agradável parecido ao do jasmim.

É considerada uma raridade, pois floresce apenas uma vez ao ano e fica aberta por, no máximo 15 dias. Seu aroma suave é utilizado na produção de aromatizantes e sabão líquido. Porém, esses produtos não são encontrados em escala industrial, sendo que a maior parte deles é produzido artesanalmente e os fabricantes plantam a flor para que ela possa ser colhida na época.

A árvore do Pau-Brasil que batizou o país possui 1.500 anos e continua crescendo, viçosa e saudável, a ponto de não se enxergar até onde vai o tronco. Ela se encontra no Parque Nacional e Histórico do Monte Pascoal, a unidade de conservação da Mata Atlântica do Brasil, a mais antiga, localizada no sul da Bahia.

Novembro de 2021

Veja também

  • Cenas Brasileiras 8. Arraial d’Ajuda

    Cenas Brasileiras 8. Arraial d’Ajuda

    O Brasil possui uma imensa costa litorânea com 7.491 km banhado pelo Oceano Atlântico, além de rios de grande extensão. O clima tropical favorece uma diversidade de ecossistemas e recursos naturais…
  • Plantas do Brasil - 7. Guaraná

    Plantas do Brasil – 7. Guaraná

    Ao falar em guaraná, a primeira coisa que vem à nossa mente é aquele famoso refrigerante em uma garrafa esverdeada ou na latinha verde com o desenho de um frutinho vermelho…
  • Plantas do Brasil – 6. Jacaranda

    Plantas do Brasil – 6. Jacaranda

    O Jacaranda, assim como a Bisnagueira – spathodea campanulata e o Flamboiã – delonix regia, é considerado uma entre as três árvores que possui a maior flor do mundo. Seu nome científico é Jacaranda mimosifolia (Bignoniaceae), ...
  • Plantas do Brasil – 4. Vitória-régia (Parte II)

    Plantas do Brasil – 4. Vitória-régia (Parte II)

    Na primeira parte foram levantadas algumas características da Vitória-régia. Entre elas, a utilização na culinária, como a semente que estoura como a pipoca e tem sabor semelhante. Além da semente, o caule da Vitória-régia pode ...
  • Plantas do Brasil – 3. Vitória-régia (Parte I)

    Plantas do Brasil – 3. Vitória-régia (Parte I)

    Uma das flores exóticas brasileiras mais bonita que existe é a vitória-régia, sendo a maior planta aquática do mundo. É originária da Amazônia e possui uma folha grande em forma de círculo, podendo chegar até ...

Última atualização

01/10/2022 - Relatório: Cerimônia do Chá no showroom de DonaFlor
01/10/2022 - Relatório: Alunos de Rio de Janeiro visitam Hakuei-an
01/09/2022 - 17. Jo-Ha-Kyû | Wa no kokoro – O espírito japonês
01/09/2022 - 17. HI | Cantinho da Língua Japonesa
01/08/2022 - Relatório: Edição Especial Comemorativa
01/08/2022 - 16. KI | Cantinho da Língua Japonesa
01/08/2022 - Cenas Brasileiras 8. Arraial d’Ajuda | Relatos de Cenas Brasileiras