- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Meus Cumprimentos

Sr. Takahiro NakamaeSou Takahiro Nakamae, Cônsul Geral do Japão em São Paulo. Assumi o cargo em junho deste ano. O ano de 2015 representa um marco histórico devido às comemorações de 120 anos de Tratado de Amizade, Comércio e Navegação entre Japão e Brasil e, por este motivo, um número maior de eventos que apresentem a cultura japonesa vem sendo realizado em diversas regiões do Brasil. Sinto orgulho em constatar que o caminho do chá, uma das culturas japonesas mais representativas, tem sido amplamente divulgado em muitos destes eventos. Hoje, são oferecidas aulas da cerimônia do chá em diversas regiões do país e isto só foi possível graças aos infindáveis esforços de todos os membros do Urasenke, que, ao longe dos anos, consolidaram a arte e capacitaram diversos professores. Gostaria de aproveitar esta oportunidade para expressar meus sinceros respeitos a todos.

Através da renovação da homepage do Centro de Chado Urasenke do Brasil neste ano, não somente o caminho do chá, mas também vestimentas, culinária e outras culturas japonesas estão sendo apresentadas de forma compacta e visualmente atrativa, chamando a atenção e o interesse do visitante. Finalizo minhas palavras desejando prosperidade à homepage e sucesso ao Centro Urasenke do Brasil.

Cônsul Geral do Japão em São Paulo
Takahiro Nakamae

 


 

Sra. Harumi Arashiro GoyaO Chanoyu, caminho do chá, expresso pela arte de beber e de servir o matchá, abrange um universo mais amplo e não será exagero definí-lo como uma filosofia de vida.

Nesse sentido, fiquei profundamente sensibilizada ao conhecer o 15º Grão-Mestre da Escola Urasenke, em 2014, durante as comemorações dos 60 anos de construção do Pavilhão Japonês.

Com seus 92 anos idade, ele nos deu demonstração de sua incrível vitalidade e agilidade, acolhendo a todos com sua contagiante “espontaneidade ocidental”.

Diante dos convidados, disse que, pela televisão, acompanhara os jogos da Copa de Mundo de Futebol para torcer pelo Brasil e lamentou nossa derrota. Fez questão de nos consolar dizendo que a participação do Japão “foi pior ainda”. Uma conversa amena para nos conduzir ao seu ensinamento: “no esporte existem vencedores e derrotados, mas na cultura não há perdedores nem vencedores. Em se tratando de chá, todos nós o recebemos, compartilhando-o com outras pessoas. Na arte do chá estão inseridas a gratidão, o céu, a terra e todo o ar que nos envolve”.

Em sua saudação lamentou não ter tido tempo para realizar a cerimônia de chá no Pavilhão Japonês, como fez há 60 anos, ao inaugurar o chashitsu do local. “Espero viver mais tempo, o suficiente para ter a oportunidade de retornar novamente e, pessoalmente, poder servir o chá aos senhores”.

Uma promessa circunstancial? Com certeza, não, principalmente para um Grão-mestre que acredita (e prova!) que o chá é o segredo da longevidade.

Por tudo isso, é motivo de imensa satisfação a existência deste site de nível de excelência, dedicado à difusão do chanoyu, que é uma verdadeira filosofia de vida.

Nós, da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social, entidade fundada há exatamente 60 anos com a missão, entre outros itens, de divulgar e preservar a cultura japonesa neste país, reiteramos nosso profundo reconhecimento por essa incansável atuação de todos os membros do Centro de Chado Urasenke do Brasil.

Harumi Arashiro Goya
Presidente da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social

Novembro de 2015

Veja também