- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Notícias Locais – Grupo de Apreciadores da Urasenke de Maringá

Há trinta anos teve um chakai em Maringá quando o mestre Sôkei Hayashi ia a Londrina e Maringá como instrutor nas sessões de prática.

Em 1987, no quadragésimo aniversário da cidade de Maringá, foi realizado o “15º Congresso Nacional da Urasenke”. (vide foto da época).

E há dez anos, foi construído em Maringá o “Parque do Japão”, e nele há uma sala de cerimônia do chá onde, atualmente, continua-se com as sessões da prática.

Neste ano, entre os dias 14 à 17 de outubro, está  programado um chakai com o tema “Chakai na vasta natureza de Maringá”.

Todos estão cordialmente convidados a se inscreverem para participar.

 

[PDF] Cerimônia do Chá & Ikebana Junto à Natureza em Maringá – 14 à 17 de Outubro

 


 

Parque do Japão – Memorial IMIN 100

Maringá possui a terceira maior colônia nipônica do Paraná e uma das maiores do Brasil, formada por cerca de quatro mil famílias e em torno de 15.000 pessoas, entre Isseis, Nisseis, Sanseis, Ionseis e Goseis. Essa grande comunidade vem contribuindo para o desenvolvimento de Maringá, desde sua fundação, em 1947. Nestes 68 anos, a colônia japonesa vem mantendo vivos os valores culturais do Japão, inclusive com a fundação de um clube próprio, a Acema (Associação Cultural e Esportiva de Maringá).

A comunidade maringaense mantém estreitas relações de amizade com o Japão, inclusive tendo sido estabelecido tratado de irmandade entre Maringá e Kakogawa, documento assinado em 2 de julho de 1973. Temos em nossa cidade, vários símbolos representativos da cultura japonesa.

Mesmo assim, entendendo que era preciso homenagear a grande Nação Japonesa e seus descendentes, a Prefeitura Municipal de Maringá decidiu criar, em 2006, um grande empreendimento que mostrasse o quanto os brasileiros e, em especial, os maringaenses, respeitam a cultura do Japão e suas tradições.

Nascia, naquele ano, o projeto Parque do Japão – Memorial IMIN 100. Na época, o então prefeito Silvio Magalhães Barros II, idealizou o empreendimento em um bairro denominado Parque Industrial, como forma de homenagear os 100 anos da Imigração Japonesa.

O Parque do Japão foi concebido em uma área de 130 mil metros quadrados, sendo 30 mil de área de recuperação ambiental e 100 mil utilizáveis para este parque urbano. Por estar em um local com nascentes e com um córrego, a área é de Preservação Permanente, sendo um espaço territorial legalmente protegido de acordo com o Código Florestal Brasileiro.

Antes do início da infraestrutura foi realizado um grande trabalho de recuperação ambiental, com a retirada de muitos entulhos, recuperação e preservação de fontes de água.

Após o trabalho de recuperação, foram construídos um Ginásio de Esportes dedicado às artes marciais, Casa de Chá, Galeria Imin 100, Centro de Eventos, Restaurante e um Jardim Japonês, com 52 mil metros quadrados, com dois lagos repletos de carpas, cascata de pedras, jardim com cerejeiras, bambuzal, pinheiros, entre outras plantas importantes da cultura japonesa.

Importante frisar que a Japan International Cooperation Agency (JICA – Agência de Cooperação Internacional do Japão) e a prefeitura de Kakogawa contribuíram para que o empreendimento se tornasse realidade. No Brasil, além da Prefeitura, o governo brasileiro, empresas e a grande comunidade japonesa, também deram apoio à conclusão das obras.

O Parque foi inaugurado oficialmente em 12 de maio de 2014 e é administrado por uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) denominada Parque do Japão – Memorial IMIN 100 e presidida pelo empresário Eduardo Temiziro Suzuki.

Mesmo sendo uma obra recente, o Parque do Japão recebe a visita de milhares de visitantes que ficam encantados com a beleza do local. Além disso, são realizados eventos como a Cerimônia do Chá, cursos de qualificação e aperfeiçoamento, eventos culturais e esportivos. Um local que orgulha não só a comunidade nipônica, como também a todos os brasileiros.

 

Dirceu Herrero Gomes
Jornalista, 1º Secretário e Diretor de
Marketing e Eventos do Parque do Japão

Junho de 2016

Veja também

Última atualização

01/09/2021 - 13. Fûryû – elegante, refinado… | Wa no kokoro – O espírito japonês
01/09/2021 - 13. KAZE | Cantinho da Língua Japonesa
01/08/2021 - Plantas do Brasil – 4. Vitória-régia (Parte II) | Relatos de Cenas Brasileiras
01/08/2021 - Sumi – 1 | Mini conhecimentos sobre Chadô
01/06/2021 - 12. Mi ni shimu – Um modo profundo de sentir… | Wa no kokoro – O espírito japonês
01/06/2021 - 12. TORI | Cantinho da Língua Japonesa
01/05/2021 - Utensílios do Mizuya – 3 | Mini conhecimentos sobre Chadô