- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Kyaku ni nari furo no sono uchi miru toki ni hai kuzure nan kizukai o seyo

Quando você é um convidado e observa o interior do furo,
seja cauteloso para não desmoronar as cinzas.

Aqueles que aprenderam a fazer o haigata, formato ao esculpir a cinza dentro do braseiro, entenderão, pois é algo que requer muito tempo e esforço. Por isso que há muitas anedotas de chajin relacionadas à cinza do furo.

Dizem que Sôsetsu, filho mais velho de Sen Sôtan, era um mestre em haigata. Quando Sôsetsu morava em Sangen-in, subtemplo de Daitokuji (Kyoto), Sôtan veio de repente visitá-lo e dizem que ao olhar as cinzas do furo, que estava colocado no canto da sala, ele falou: “Sôsetsu está incomodando”. Era muito peculiar a cinza do furo de Sôsetsu.

Quando observar a parte interna do furo, ao andar ou ao ficar de pé de forma brusca, pode criar fissuras na cinza esculpida com tanto empenho pelo anfitrião. Por outro lado, quando o formato da cinza não é afetada por tão pouca coisa pode-se dizer que não é uma verdadeira cinza. É o que chamamos de “cinza morta”. Dar forma a cinza não é algo que se faça pressionando com força. O convidado deve considerar o esforço do anfitrião e no momento de apreciar o furo, deve observá-lo com calma.

Abril de 2018

Veja também