- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

PENSAMENTOS QUE ME VEEM À MENTE, NESSES DIAS

Veronica Hayako Nagae

A pandemia do corona vírus mudou, completamente, a rotina não apenas dos brasileiros como as das pessoas do mundo inteiro. Com tantos infectados e mortes, além de desempregos, muitas famílias devem estar desoladas. Tenho orado a Deus por essas pessoas no dia a dia, encaminhando a Ele, a dor, a angústia, os sofrimentos delas, pois acredito na força da oração, que nos conecta diretamente com Deus.

Em situações tristes como essas, percebi que aumenta o número de pessoas que buscam a Deus, o que acho interessante. Por outro lado, acredito que tudo que acontece está no comando Dele, inclusive os momentos bons e alegres. Sendo assim, só temos que encaminhar tudo a Ele e agradecer, e que seja feita a Sua vontade. A vontade de Deus é de que reconheçamos que Ele está vivo dentro de cada um de nós, nos criando e educando para nos tornarmos verdadeiros seres humanos, ou seja, Seus verdadeiros filhos.

Desde que iniciei no Caminho do Chá, tem um provérbio que gosto muito e o adotei como uma diretriz para o meu treinamento.

Após aprender de “um” até “dez”, retorne ao “um”, ao início.

É um ensinamento de Sen Rikyû que significa: Comece a aprender do “um” e chegue até o “dez”, depois retorne ao “um” com uma nova postura e avance até o “dez” novamente. Assim procedendo irá enxergar e entender o que antes deixara escapar.

Essas palavras também me remetem à humildade que devemos ter, que a presunção não leva a nada, pois por mais que aprendemos nunca será suficiente. Tenho sentido isso nos treinos de chá; apesar de ser o mesmo temae, cada vez que pratico aprendo um detalhe novo, aliás, novo para mim que não havia percebido. E o mais interessante, é que percebi que não se aprende com a mente, mas sim com as mãos, com o corpo. Daí a importância da continuidade e de valorizar cada momento, assim como a frase: Ichigo Ichie – um encontro, um momento. Saber que cada momento é único, que o “eu” daquele momento, não será o mesmo depois que o tempo passar, me faz desejar, às vezes, que o tempo pare ou passe o mais rápido possível. Saber que tudo é efêmero, é bom dependendo da situação, mas também em outras ocasiões é triste.

Seja como for, tudo é válido quando entendemos que faz parte do nosso aprendizado e daí obtemos experiencias e maior discernimento. Procuro sempre olhar o lado positivo dos acontecimentos e, dessa forma, me sinto abençoada todos os dias.

 

Veja também

  • Shôgo Chaji de 11 de outubro

    Shôgo Chaji de 11 de outubro

    No dia 11 de outubro aconteceu o Chaji do meio-dia da anfitriã Hara, Kaori. Desta vez, o chaji foi feito no ro. O cardápio da refeição kaiseki também mudou e o tema na sala de ...
  • Shôgo Chaji de 06 de setembro

    Shôgo Chaji de 06 de setembro

    O Chaji do meio-dia de 06 de setembro, do anfitrião Valderson Sôchi de Souza, foi realizado na sala de chá Hakuei-an. Dessa vez, foi no estilo ryûrei, e o convidado principal foi Antonio Fabiano da Silva Santos, de Belo Horizonte. O Sr. Valderson é professor de Ikebana, ...
  • Shôgo Chaji de 16 de agosto

    Shôgo Chaji de 16 de agosto

    No dia 16 de agosto, foi realizado o Shôgo Chaji (Cerimônia do Chá Formal do meio-dia) do teishu Sr. Susaki, Sôshô. O foco máximo desta vez foi o segundo convidado Matsudaira, Yoshinobu de onze anos, um maravilhoso convidado ...
  • Shôgo Chaji de 9 de agosto

    Shôgo Chaji de 9 de agosto

    Nesse dia, o Shôgo chaji da anfitriã Verônica foi realizada na sala Hakuei-an. Com suas amigas, teve um momento de harmonia com o tema “amizade – yûjô” (友情). O que se segue são as impressões ...
  • Shôgo Chaji de 5 de julho

    Shôgo Chaji de 5 de julho

    No dia 5 de julho aconteceu o Shôgo Chaji que teve como anfitriã a professora Chaki Sôki. Vamos apresentar as impressões dos participantes. Desta vez, Chaki sensei, convidou-os com pensamento de『謝茶』shacha – “gratidão pelo chá”. Nele mostra o sentimento de felicidade ...