- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

10. Kurumi – Nozes (Nozes da Índia)

Tão deliciosas quanto altamente nutritivas, as nozes são bastante conhecidas no mundo inteiro, como são as amêndoas, as castanhas de caju, as sementes de girassol e os pinhões. Desta vez, vamos nos concentrar no fruto da nogueira-comum ou nogueira-da-Índia (kurumi), dentre as muitas variedades disponíveis.

Embora elas possam ser encontradas no Brasil, os principais locais de origem são o Irã, a China e a América do Norte. Nos Estados Unidos e no Canadá são valorizadas não apenas como comestíveis, mas também como árvores que fornecem madeira durável e luxuosa.

No Japão tem uma longa história de consumo, com sementes encontradas nas escavações em ruínas do período Jômon (13000 a.C a 300 a.C), o que a torna uma das nozes mais conhecidas do povo japonês.

 

Eficácia

Dentro da medicina chinesa, na classificação da Teoria dos Cinco Elementos (frio, fresco, normal/neutral, morno/úmido e quente), são mornas, com características adequadas para melhorar a função renal e pulmonar, sendo eficaz contra tosse e asma.

Na classificação dos gostos (ácido, amargo, doce, picante e salgado), são consideradas doces. Alivia as tensões, com seu efeito nutritivo e fortificante.

No mundo da medicina, através da alimentação natural, diz-se que as nozes têm o efeito de “saúde cerebral”. Essa associação deve ser pelo fato de que o formato das nozes se assemelha ao do cérebro e, portanto, acredita-se que seja eficaz em partes do corpo que possuam aparências semelhantes. Os rins estão intimamente relacionados com a função do cérebro, e o consumo frequente de nozes pode prevenir a perda de concentração e de memória, levando à ativação do cérebro.

Por ser rico em proteínas e gorduras, possui alto metabolismo energético e é eficaz na recuperação da fadiga. As nozes são poderosas aliadas da beleza feminina, pois hidratam a pele e os cabelos e previnem a sua queda. Também contém muitos ácidos graxos ômega-3, que ajudam a reduzir a pressão arterial.

 

Como alimento

As nozes são deliciosas na sua forma natural, mas há diversas maneiras de apreciá-las como ingrediente. O óleo feito de nozes tem um aroma muito perfumado e é considerado de alta qualidade.

Na Prefeitura de Nagano, que tem a maior colheita delas no Japão, as nozes moídas são usadas às vezes como tempero e no molho para macarrão soba.

Há também doces, como o mochi, com recheio de nozes. No Ocidente, os produtos assados, como biscoitos e bolos decorados com nozes são igualmente populares.

Como mencionado anteriormente, as nozes são ricas em nutrientes e também ricas em calorias; consequentemente, como acontece com qualquer alimento, é preciso ter cuidado para não as consumir em excesso.

Maio de 2024

Veja também

  • 9. Suika – Melancia

    9. Suika – Melancia

    A melancia é uma das frutas de que todos nos lembramos, quando chega o verão. Quem não gosta da sensação de frescor e doçura suave que ela nos traz, quando a comemos?…
  • 8. Satsumaimo – Batata-doce

    8. Satsumaimo – Batata-doce

    O alimento escolhido desta vez é a batata-doce, muito popular pela sua doçura e consistência suave ao se saborear. Dizem que este tubérculo é nativo do México central a Guatemala, espalhando-se eventualmente até o Peru. ...
  • 7. Mikan – tangerinas

    7. Mikan – tangerinas

    No mundo há uma variedade de tipos de frutas cítricas, mas, hoje, falaremos da tangerina, especificamente. “Mikan”, no Japão, refere-se àquelas frutas cítricas que são doces como mel. O seu lugar de origem é Satsuma, atual ...
  • 6. Goma – gergelim

    6. Goma – gergelim

    Desta vez vamos falar sobre sementes de gergelim. Cultivada desde tempos antigos, esta planta herbácea tem suas raízes na África. Dizem que a rainha Cleópatra do Egito comia as sementes e, para fins de beleza, ...
  • 5. Umê – ameixa japonesa

    5. Umê – ameixa japonesa

    Na sequência desta série, vamos apresentar a ameixeira japonesa (ume) e seu fruto, muito presente e familiar ao povo japonês desde tempos antigos. Quanto às flores da ameixeira, são as primeiras a desabrochar, no início ...