- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Materiais da Natureza – Bambu III

No dia 30 de abril foi realizada a Cerimônia de Inauguração da Japan House que, na sua 1ª Exposição, teve como tema o “Bambu”.

As imediações da entrada do andar térreo é como se estivesse dentro de um bosque de bambu, que pode se dizer, que é uma sala de chá de bambu verde, onde foi criado um espaço de outra dimensão. Lá dentro foram estendidos seis tatames e no teto é projetada a animação “Taketori Monogatari 竹取物語” (Conto do Cortador de Lenha).  No segundo andar se encontram expostos vasos de flores (hanaire) e diversos objetos de bambu que gostaria de ter introduzido agora.  Há objetos de bambu familiares usados no dia a dia: guarda-chuva, o pincel de caligrafia, que seu cabo é feito de bamboo, a gaiola de insetos, a folha de bambu que usa-se ao embrulhar os bolinhos de arroz.

Além disso, tem um componente obtido das folhas do bambu em pó, denominado “chikuyô” (竹葉 lit. folha de bambu), que tem sido usado como um remédio natural da medicina chinesa tradicional (tem um efeito diurético).  Ao se queimar com carvão até se tornar “carvão de bambu” (takezumi 竹炭) o mesmo é usado para melhorar a qualidade da água encanada e como agente desodorizante.

Gostaria encerrar o tema de “Bambu”, com uma citação do livro “Take ni Omou” (Penso no bambu 竹に思う) autoria de Chin Shunshin, que faz uma representação literária do bambu.

O literato chinês fala que o bambu – “não é rígido, não é brando, não é grama, nem é árvore”.  Uma das características do bambu é que ele não é incomum nem tampouco é vulgar, mas não devemos nos prender nesses fatos. Além disso, está presente na vida diária das pessoas.  Por isso, em um ambiente de bambu, como esse, alguém pensou em penetrar nas suas profundezas do coração das pessoas que estão perto e assim eliminar o mundanismo.

 

A cor verde refrescante do bambu é desenhado nas pinturas a nanquim (suibokuga 水墨画), pinturas de bambu da cor de cinábrio (shuchikuga 朱竹画) ou com um atrativo diferente.  Depois da Dinastia Tang, a arte chinesa considera como temas de suas pinturas, as “quatro plantas nobres” (shikunshi 四君子): orquídea, crisântemo, ameixeira, e o bambu.  O bambu é o tema de pinturas devido a sua elegância, o bambu suporta a neve, mesmo durante a geada e é valorizado por sua cor verde que não muda.

Julho de 2017

Veja também

  • Kuyô (ofício memorial) – Lendas Folclóricas: Tsukumogami

    Kuyô (ofício memorial) – Lendas Folclóricas: Tsukumogami

    HARI KUYÔ 針供養 – FUDE KUYÔ 筆供養 – CHASEN KUYÔ 茶筅供養Ofício memorial às agulhas, aos pinceis, aos batedores de bambu (chasen)…
  • Kintsugi - Kominka

    Kintsugi – Kominka

    Em japonês pode ser escrito 金つぎ ou 金継ぎ. Há diversos tipos de objetos de cerâmica, desde aquelas tigelas de chá para uso diário, a chawan mais caros. Kintsugi é o método japonês de restaurar as cerâmicas tradicionais, quando elas se quebram…
  • Utilização de Diversos Materiais Naturais

    Utilização de Diversos Materiais Naturais

    Pelas excelentes técnicas dos artesãos, coisas da natureza como gramíneas e árvores renascem em esplêndidos produtos artesanais. No caso do Japão, há os de cascas de árvores, cana comum yoshi (pragmites), junco-solto (igusa) etc…
  • Materiais naturais: igusa, shuro

    Materiais naturais: igusa, shuro

    Entre vários materiais naturais, apresentaremos o junco-solto (igusa イグサ) usado para tatames em washitsu e a palmeira-moinho-de-vento (shuro シュロ)…
  • Cinzas

    Cinzas

    Matéria em pó que remanesce após queimar grama, árvores, animais, etc., amplamente utilizada desde o passado como substância química. Os principais componentes da cinza são minerais metálicos (potássio, magnésio, ferro, zinco, sódio, cobre, cálcio, alumínio) ...