- A Paz Através de Uma Tigela de Chá -

Padrões Japoneses Mon’yô: Flor de Cerejeira

O tema deste mês é sakura, a cerejeira e a sua flor.

A época de seu florescimento no Japão (primavera) já acabou este ano, no entanto, no Brasil floresce entre julho e agosto. Todos os anos muitas pessoas apreciam estas lindas flores, nos festivais da cerejeira, na cidade de São Roque ou no Parque do Carmo, em São Paulo.

Para os japoneses, o sakura é a flor nacional, e não só representa a primavera, mas é de extrema importância como um símbolo de espiritualidade, durante todo o ano.

Um dos lugares mais famosos para apreciar seu florescimento é o Monte Yoshino, considerado Herança Cultural da Humanidade pela UNESCO (Rota de Peregrinação e Lugares Sagrados da Cadeia Montanhosa do Monte Kii).

 

Yaezakura” (八重桜)

É comum a flor de cerejeira ter cinco pétalas. Quando o seu número é maior, será chamada de “Yaezakura”. Há espécies com mais de dez, até com mais de cem pétalas em uma só flor, e devido a esse aspecto, semelhante à peônia, são chamadas também de “Botanzakura”. Nos padrões japoneses elas são representadas por meio de várias camadas, ou seja, pétalas sobrepostas, demonstrando a beleza da sua floração. Nos quimonos e faixas (obi), dos diferentes padrões possíveis de sakura, “Yaezakura” transmite uma impressão deslumbrante.

Kozakura” (小桜)

Ao contrário do esplendor de “Yaezakura”, este padrão é simples, representado por pequenas flores ou pétalas dispersas. Pode-se observar em padrões reduzidos ou como fundo, nos tecidos de quimonos. Podemos afirmar que a sua beleza delicada é estimada desde a antiguidade pelos japoneses, sem necessariamente relacionar-se a uma época definida do ano.

Shidarezakura” (枝垂れ桜)

Este padrão mostra o galho da cerejeira com uma quantidade de flor propícia, inclinando-se suavemente. Há vários que mostram o galho ao vento, com as pétalas a esvoaçar pelo ar, transparecendo sua beleza e fugacidade. Nota-se até mesmo uma sublime quietude naqueles quimonos em que, no comprimento das peças, os galhos da cerejeira apontam em direção à barra, desde a parte superior.

Hanaikadamon” (花筏文)

Hanaika” é a palavra que expressa o sentido das pétalas já desprendidas da flor de cerejeira, caídas e em conjunto, numa correnteza de água. É uma palavra japonesa peculiar, que exprime não só a flor de cerejeira em pleno florescimento, mas também o seu encanto até depois de desfolhar-se. “Hanaikadamon” é um padrão que estiliza e sintetiza esse sentido.

Agosto de 2019

Veja também

  • Padrões Japoneses Mon’yô: Onda e Água

    Padrões Japoneses Mon’yô: Onda e Água

    Os temas deste mês são: “Onda” (nami 波) e “Água” (mizu 水). No mês de outubro, o Japão festeja a chegada do outono; por outro lado, no Brasil, já podemos sentir a proximidade do verão…
  • Padrões japoneses mon’yô: Flor de ameixeira

    Padrões japoneses mon’yô: Flor de ameixeira

    Neste artigo trataremos do último item do trio (Shô-chiku-bai 松竹梅), o (bai/umé)「梅」, a flor de ameixeira . É a primeira a florescer no começo do ano, quando ainda o frio é intenso no Japão, e, portanto, ...
  • Padrões japoneses mon’yô: Bambu

    Padrões japoneses mon’yô: Bambu

    Prosseguiremos com o segundo elemento do trio “pinheiro, bambu e flor de ameixeira” (Shô-chiku-bai 松竹梅), o bambu (chiku/take 竹). Da mesma forma que o pinheiro, o bambu permanece verdejante o ano inteiro. Cria muitas raízes, cresce ...
  • Padrões japoneses mon’yô: Pinheiro

    Padrões japoneses mon’yô: Pinheiro

    Agora que finalizamos a série “O lenço kobukusa e os tecidos de seda kireji”, iniciada em março de 2017, que tal estudarmos juntos sobre os motivos de padronagem japonesa, os mon’yô?Nós discutimos até agora sobre os desenhos dos tecidos kireji ...